Desde 1984
Geral
8 de fevereiro de 2019
Vereador questiona reforma do Cresb e cobrança de água e luz
Erivelton Braz
Entulhos no Cresb apontam obras no local
Prefeitura alega que local está sendo reformado e que tem pedreiros lá

O vereador Belmar Diniz (PT) voltou a criticar a cobrança e o pagamento de contas de água e energia elétrica no Centro de Referência em Saúde Bucal (Cresb). O local, que fica próximo à Policlínica, foi fechado no ano passado para reformas e até hoje não foi reaberto. Em outubro do ano passado, Belmar criticou as contas que continuavam chegando.
Na reunião desta semana, usando a tribuna da Câmara, o parlamentar relembrou que o fechamento do Cresb ocorreu em agosto. Mesmo fechado, segundo o vereador, o Departamento de Águas e Esgotos (DAE) e a Cemig estão cobrando consumo de água e luz até o momento.
Belmar afirmou que no mês de setembro, foi cobrado o valor de R$357,79 de água. Em outubro R$375,24, em novembro, R$392,69 e em dezembro, R$375,24. Já as contas da Cemig foram de R$293,91 (360 kWh) em setembro, em outubro de R$320,44 (400 kWh) e em novembro de R$320,61 (400 kWh). “Para mim, isso é cobrança indevida e irresponsável. É desvio de dinheiro”, acusou.
O vereador lembrou que a prefeitura alegou à época da primeira denúncia, que o consumo de água foi devido às obras no local. “A única informação que tenho é que somente quebraram paredes internas no Cresb. Procurei informações com vizinhos e todos me disseram que não houve obras no local. Procurei me informar com a coordenadora de saúde bucal e ela me disse que só estava sabendo da quebra de paredes e que não saberia informar sobre andamento das obras. Nada justifica cobrança de consumo de água e energia elétrica de um local fechado desde o mês de agosto. Cobrança indevida ou desvio de recursos? Todos os valores cobrados estão sendo pagos com recursos da saúde”, denunciou.
Para fiscalizar o Cresb, o vereador disse que convidou a secretária de Saúde, Andrea Peixoto, para visitar o local com ele. No entanto, ela disse não ter agenda disponível. Questionada, a Prefeitura, através da Assessoria de Comunicação, afirmou que o local passa, sim, por reformas e que há três pedreiros trabalhando lá. Na manhã de ontem, por volta das 10h30, a reportagem do A Notícia esteve no local, mas ele estava fechado. No entanto, havia entulho e uma moto, que seria de um dos pedreiros. O assessor de Comunicação Will Jony Gomes Nogueira e o secretário adjunto de Obras, Brenno Lima, também estavam no local, depois do questionamento do jornal e do vereador. Eles alegaram que os pedreiros saíram para buscar argamassa e que, depois, sairiam para o almoço. “O importante é que o serviço de dentistas está funcionando em outros postos”, disse Brenno. Sobre a visita da secretária, a Assessoria de Comunicação disse que basta o vereador fazer um ofício ao governo que a visita será agendada.
Registro fechado
e sem lâmpadas

Já no início da tarde de ontem (7), o vereador Belmar disse ao A Notícia que esteve no local e constatou que o hidrômetro do prédio do Cresb estava fechado e que, no local, também não há lâmpadas e equipamentos. De acordo com Belmar Diniz, o assessor de Comunicação Will Jony também esteve no local e, diante do desligamento, afirmou que ele estava certo em questionar. Ainda segundo Belmar, Will Jony foi ao DAE e afirmou que a autarquia faz cobrança estimada do consumo. O vereador disse que vai cobrar do DAE a devolução dos recursos para a Secretaria Municipal de Saúde. Ele também ficou de questionar a Cemig sobre as contas de energia elétrica.