Desde 1984
Geral
8 de fevereiro de 2019
ArcelorMittal diz que barragem do Rio Piracicaba é segura
Erivelton Braz
Em resposta a questionamentos do Jornal A Notícia, a ArcelorMittal, Usina de João Monlevade, afirmou que a barragem do rio Piracicaba e que alimenta a Hidrelétrica Piracicaba, localizada no bairro Jacuí, é segura. “Assim como todas as áreas e equipamentos da Usina, as instalações da Hidrelétrica são monitoradas em tempo real e passam por manutenções constantes, o que garante a segurança das estruturas”, diz resposta da Assessoria de Comunicação da empresa.
De acordo com a ArcelorMittal, a barragem possui todas as licenças necessárias dos órgãos ambientais para a sua operação e é fiscalizada periodicamente, tendo passado por auditoria recente da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). O último laudo que atesta a estabilidade da central hidrelétrica é de 2018, segundo a empresa.
A hidrelétrica do bairro Jacuí foi implantada em 1939. Ela é considerada de pequeno porte e, pela baixa vazão do rio Piracicaba, gera uma pequena parte da energia elétrica consumida pelas operações da Usina de Monlevade, proprietária do empreendimento. Para o seu funcionamento, há o represamento de uma pequena parte do rio. Todo o restante do volume de água passa naturalmente pela estrutura e aciona as turbinas gerando energia elétrica. “Cabe ressaltar que a Hidrelétrica Piracicaba é construída em concreto, diferente das barragens de mineração. A hidrelétrica utiliza a passagem da água (vazão do rio) para geração de energia”, explica a empresa.
Peti

A Aneel vai iniciar a partir da próxima semana, uma força-tarefa para fiscalizar in loco as barragens de 142 usinas hidrelétricas, até o mês de maio, em 18 Estados, além do Distrito Federal. Na região, a Barragem de Peti será uma das fiscalizadas nesse período. Depois dessa primeira etapa, a Agência estenderá, entre maio e o fim de dezembro, a inspeção presencial a todas as barragens de hidrelétricas classificadas como “Dano Potencial Alto”, até totalizar 335 empreendimentos vistoriados no ano. É importante destacar que “Dano Potencial Alto” é uma classificação que diz respeito à área afetada pela usina – se é densamente povoada, por exemplo – e não às suas condições estruturais.

Pontes

Questionada sobre a situação de pontes e passarelas do município, a Prefeitura de João Monlevade, através da Assessoria de Comunicação, informou que todas estão sendo constantemente observadas e monitoradas. Principalmente, as mais antigas, como a ponte do Beira-Rio, onde passam veículos que seguem para a Igreja São José Operário. “Ressalta-se que passarelas como a do bairro Santa Cruz e do bairro Metalúrgico foram reformadas, e que a reforma da passarela da rua Prata, no Cruzeiro Celeste, está sendo concluída”, respondeu o assessor Will Jony Gomes Nogueira.