Região
7 de dezembro de 2018

Barão recebe licença ambiental da Cava da Divisa

Acom/CMBC
Prefeito e vereadores de Barão na reunião do Copam

O Conselho Estadual de Política Ambiental (Copam) aprovou, na última sexta-feira (30), o licenciamento ambiental para a instalação e a operação da Mina da Cava da Divisa, sob responsabilidade da mineradora Vale. A expectativa da Prefeitura de Barão de Cocais é que o início dos trabalhos da mina seja realizado já em 2019. “Será o pontapé inicial na geração de empregos e de um aumento na arrecadação de impostos do município, em especial, por meio da Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (Cfem)”, diz nota da Prefeitura.
A notícia da aprovação foi bastante comemorada pelo prefeito Décio dos Santos (PV) e pelo vice-prefeito Lourival Ramos (PV). “Após um ano e meio de muito trabalho, luta e perseverança, consegui, junto a minha equipe de governo e servidores públicos, que se doaram inteiramente, mesmo com todas as dificuldades e críticas, finalizar os trâmites para que nossa cidade voltasse a minerar. As coisas não irão melhorar do dia para a noite, mas o passo mais importante da história recente de Barão de Cocais foi dado com sucesso”, celebrou o prefeito.
Ainda segundo Décio, que acompanhou a reunião do Copam, em breve, o município voltará a ter independência econômica, gerar emprego e renda através da mineração. "A cidade agora possui uma perspectiva de investimento crescente pelos próximos 30 anos”, disse o chefe do Executivo. O presidente da Câmara, Leonei Pires (PV), e os vereadores Marisa Lopes (PTB), Onézio Rodrigues de Lima Filho (PDT), Sérgio da Aparecida Pena (MDB) e Waldir Rosa Oliveira (PSB ) também estiveram na reunião do Copam e comemoraram com a notícia.

Histórico

Com a intensa crise de arrecadação e os altos índices de desemprego que afetam o município, as licenças ambientais para mineração têm ocupado parte central dos esforços dos poderes Legislativo e Executivo nos últimos dois anos. Vereadores marcaram presença em reuniões do Copam e de outros órgãos do Governo do Estado, cobrando celeridade e iniciativa em prol de Barão de Cocais.
O processo de licenciamento esteve por cerca de sete anos na Superintendência Regional de Meio Ambiente (Supram Leste), que abriga mais de três mil processos. No último ano, a partir da atuação conjunta das autoridades municipais, a licença foi encaminhada para a Superintendência de Projetos Prioritários (Suppri), responsável por quase 50 projetos de todo o Estado.
O licenciamento da Cava da Divisa esteve sob o crivo de estudos hidrográficos e de impacto a espécies animais e vegetais, tendo transitado pelo Ibama, pela Câmara de Compensação Ambiental e, por fim, pelo Copam.