Geral
7 de dezembro de 2018

Moradores do Baú e Areia Preta reclamam de poluição

Luiz Ernesto
Usuários da pista de caminhada do bairro Baú reclamam da poeira e poluição no local

Moradores dos bairros Areia Preta, Baú e Vila Tanque, assim como pessoas que fazem caminhada nas proximidades da entrada da estrada do Forninho, reclamaram, dias atrás, da poluição gerada nas áreas da empresa ArcelorMittal no local.
De acordo com as reclamações, há muita poeira no local, advinda do beneficiamento de escória e de um depósito de sinter usado na siderúrgica, em galpões próximos ao bairro Baú e à linha férrea que passa pelo local. Além disso, o intenso trânsito de caminhões pesados no trecho espalha muita poeira, segundo as reclamações. "A pista de caminhada fica intransitável, impossível de ser utilizada, devido à poeira. Há um paliativo, que é utilizar um caminhão pipa molhando a pista, mas só faz barro, sem realmente acabar com o problema", desabafa um usuário da pista de caminhada, que preferiu não se identificar.
Questionada sobre o assunto, a ArcelorMittal Monlevade, através de sua Assessoria de Comunicação, informou que a empresa tem ciência do problema e juntamente com o poder público vem estudando a situação. A siderúrgica também alegou que está realizando uma análise dos materiais que estão acumulados naquele ponto da avenida para determinar a origem deles, já que vários fatores podem contribuir para a situação, como as chuvas intensas, que carregam materiais de vários pontos da região até o local, além da falta de manutenção da via pública que liga a Estrada do Forninho à avenida Wilson Alvarenga.
A Assessoria da empresa ainda informou que, devidamente identificada a origem dos materiais acumulados na avenida, a ArcelorMittal irá atuar dentro dos limites do que é de responsabilidade da empresa, que já realizou uma limpeza no local na semana passada.