Geral
30 de novembro de 2018

A Monlevade que dá certo - História de hoje nº30

Reprodução
As ativistas culturais Carla Lisboa e Sheila Malta, parceiras em eventos diversos

A coluna A Monlevade que Dá Certo desta semana traz a boa iniciativa de um grupo de amigos da cidade, que criou uma forma eficaz de produzir e divulgar interessantes ações sociais. O grupo Pensando Monlevade foi criado em abril de 2018 e já é protagonista em diversas ações no município.
Entre as iniciativas do grupo, está a participação na organização do show do cantor monlevadense João Roberto Pereira, realizado no início do mês de novembro no anfiteatro do Centro Educacional para angariar recursos destinados a uma cirurgia oftalmológica do cantor. O Pensando Monlevade também participou da campanha para arrecadar suplementares alimentares para pessoas carentes na cidade, que tiveram dificuldades em obter os itens recentemente, que são fornecidos pela Prefeitura. O grupo também criou o seu primeiro concurso fotográfico, com grande adesão, além de promover palestras na cidade sobre diversos temas de interesse público.
Atualmente, o grupo se dedica à sua primeira Campanha de Natal, que irá recolher cobertores usados, em bom estado de conservação, a serem doados aos moradores de rua de João Monlevade. Com o tema "Vamos aquecer a quem tem frio - Fazer o bem sem olhar a quem", o Pensando Monlevade deu início à Campanha no dia 19 de novembro e irá encerrar a iniciativa no dia 20 de dezembro. Quem quiser ajudar deve entrar em contato com o grupo através do WhatsApp 99280-7193 ou pelo e-mail pensandomonlevade@gmail.com.
Uma das idealizadoras do grupo, a advogada Sheila Malta destaca a importância da Campanha de Natal do Pensando Monlevade. "A campanha pretende ajudar quem realmente precisa. Peço, inclusive, a gentileza que enviem sugestões de famílias ou mesmo de entidades e comunidades. Queremos lhes proporcionar um Natal mais quente", afirmou.
Sheila também ressaltou os princípios do grupo Pensando Monlevade. "O grupo não é de direita ou esquerda, não possui classe social, cor, credo, sexo e todos, sem exceção, são bem vindos, pois temos o objetivo da inclusão", destaca.
Origem

Sheila conta, também, um pouco da origem do Pensando Monlevade, que surgiu de uma conversa entre ela e o músico Marcos Martino, que já havia criado o Pensando Alvinópolis, em sua terra natal. "Um belo dia, conversando sobre cultura e outros assuntos, o Martino propôs que criássemos o projeto do Pensando Monlevade. O objetivo era trabalhar com projetos, muitos deles em parceria com ativistas culturais da nossa cidade. Não pretendemos competir, mas coexistir, e no que for possível interagir para formar um todo. O Pensando Monlevade é ainda um grão de areia, que pretende se transformar em terra firme, através de nossa união e de nossos esforços", salienta Sheila.