Brasil e Mundo
19 de novembro de 2018

Cresce o número de barragens com problemas graves de estrutura, diz ANA

DO G1


Relatório da Agência Nacional de Águas aponta 45 barragens com falhas graves na estrutura. Em 2016, 25 barragens apresentavam problemas.


Um relatório da Agência Nacional de Águas (ANA) aponta que quase dobrou o número de barragens com algum problema grave na estrutura. De acordo com o levantamento de 2017, 45 barragens estão nessa situação. Em 2016, 25 barragens apresentavam problemas.

Esse é o segundo relatório produzido pela ANA após o rompimento da barragem da Samarco, em Minas Gerais. O desastre matou 19 pessoas há três anos na cidade de Mariana.

Segundo o relatório, das 45 barragens com problemas, mais da metade pertence a órgãos e entidades públicas. Seis delas, por exemplo, são do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), órgão ligado ao Ministério da Integração Nacional, que cuida de 327 barragens em todo o país. Barragens fiscalizadas por órgãos estaduais também têm muitos problemas, segundo a agência.

O Dnocs afirma que faz vistorias periódicas nas 327 barragens sob sua responsabilidade e que dispõe de quase R$ 330 milhões para recuperação e modernização das estruturas.

De acordo com o levantamento da ANA, o Dnocs tinha orçamento de R$ 5,7 milhões para ações em segurança de barragens – uma média de R$ 19 mil para cada barragem, mas 24% foram de fato usados.

O valor é baixo, de acordo com a agência, que aplicou autos de infração e continua aguardando a correção das falhas.

"As punições elas tem acontecido muito mais frequencia , foram aplicadas pelos reguladores federais, do que pelos reguladores estaduais. Então, entra ai um outro desafio que nos temos pela frente que a gente tem trabalhado nisso também, que é a conscientização e a capacitação dos gestores estaduais na parte de segurança de barragens", afirma Oscar Cordeiro Netto, diretor de regulação da ANA.


Situação de risco
A Bahia tem o maior número de barragens com manutenção inadequada – que abrange os empreendimentos públicos e privados.

Das 335 barragens que são fiscalizadas pelo Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), 10 apresentam algum comprometimento estrutural importante. O instituto não respondeu aos questionamentos da reportagem.

Alagoas é o segundo estado com mais barragens com problemas. São 6, sendo que 5 já eram consideradas de risco no relatório de 2016.