Brasil e Mundo
15 de novembro de 2018

Sobe para 56 o número de mortos nos dois incêndios na Califórnia

Reprodução

DO G1

Incêndio Camp Fire engoliu a cidade de Paradise e é o mais mortífero da história do estado. Outro incêndio no sul do estado matou mais duas pessoas.

As autoridades norte-americanas informaram que o número de mortos nos dois grandes incêndios ativos na Califórnia subiu para 56 nesta quarta-feira (14).

O xerife do condado de Butte, Kory Honea, afirmou que ainda há pessoas desaparecidas e que pediu o apoio de 100 reservistas da Guarda Nacional dos Estados Unidos para que ajudem nas tarefas de localização de restos humanos.

Até segunda-feira, o número de desaparecidos reportados pelas autoridades era de cerca de 200, mas Honea disse não poder dar um número atualizado (que não conte os que foram localizados nas últimas horas) por conta do enorme volume de trabalho causado pela situação caótica.

As agências internacionais de notícias estimam o número de desaparecidos entre 100 e 130.

O incêndio chamado "Camp Fire", que está situado 280 km ao nordeste de San Francisco e engoliu totalmente a cidade de Paradise (de 27.000 habitantes), já é o mais mortífero da história do estado, além do mais destrutivo por ter arrasado 8.917 edifícios.

Até então, o incêndio que atingiu o Griffith Park (Los Angeles), em 1933, tinha deixado 29 mortos era considerado o mais letal da história da Califórnia, de acordo com o Departamento de Bombeiros da Califórnia (Cal Fire).

As outras duas vítimas morreram no outro grande incêndio que queima o sul do estado, perto de Los Angeles, o "Woolsey Fire", e cujos corpos foram achados carbonizados no veículo usado para tentar escapar das chamas. Nessa região fica os condados de Ventura - onde fica a cidade de Malibu, residência de várias estrelas de Hollywood - e de Los Angeles. Famosos tiveram que deixar suas casas e relataram a destruição causada pelas chamas.

Paradise, a cidade que ficou completamente arrasada pela conflagração, se encontra aos pés da Sierra Nevada, em meio a um clima seco e ensolarado que no último meio século atraiu muitos aposentados, o que fez com que a população se triplicasse em 50 anos.

Meios de comunicação locais apontaram que muitas das pessoas que permanecem desaparecidas são idosos, alguns com mobilidade reduzida, o que teria dificultado sua fuga.

O incêndio começou na manhã de quinta e desde então queimou 52.600 hectares de um terreno extremamente seco. A polícia local indicou que faz mais de 200 dias que choveu pela última vez na área. Por enquanto, os bombeiros conseguiram conter apenas 35% das chamas desse incêndio.

As origens dos incêndios Camp e Woolsey foram listadas como "sob investigação", mas duas prestadoras de serviço, Southern California Edison e Pacific Gas & Electric , relataram a agências reguladoras que tiveram problemas com linhas de energia ou subestações por volta do horário em que se relatou o início dos incêndios.

Ajuda da Guarda Nacional
As tropas da Guarda Nacional norte-americana devem chegar nesta quarta a Paradise para ajudar nas buscas por vítimas. O contingente de cerca de 100 policiais militares treinados para buscar e identificar restos humanos, reforçará as equipes de resgate lideradas por médicos legistas, unidades de cães farejadores e antropólogos forenses que já vasculham o cenário.

Na noite de terça-feira, graças a diminuição dos ventos e a elevação dos níveis de umidade, equipes de bombeiros conseguiram abrir linhas de contenção ao redor de mais de um terço dos dois incêndios, reduzindo a ameaça imediata a vidas e propriedades.

O secretário do Interior dos EUA, Ryan Zinke, e o governador da Califórnia, Jerry Brown, devem visitar às áreas nesta quarta-feira, depois que o presidente Donald Trump declarou as zonas áreas de desastre, acelerando a liberação de assistência federal.

Veja os números do incêndio:
505,86 km² – É a extensão da área queimada pelo Camp Fire, segundo a Nasa. O número equivale a cerca de um terço do município de São Paulo ou pouco mais de toda a área de Porto Alegre.
8,9 mil – Número de construções destruídas pelo incêndio, o que torna o Camp Fire o mais destrutivo da história da Califórnia, segundo o "New York Times".
48 mortos – Número de mortos apenas no Camp Fire. Com o incêndio no sul da Califórnia, perto de Malibu, o total de pessoas que morreram nas queimadas no estado chegou a 51;
228 desaparecidos – Alto número de desaparecidos deve elevar o número de mortos nos incêndios;
27 mil habitantes – Viviam em Paradise, cidade no norte da Califórnia completamente destruída pelo incêndio.